Hoje eu estou aqui pra responder uma pergunta que muita gente faz sempre que me encontra pessoalmente ou pelas redes sociais: todo mundo pode cantar?

E a resposta para essa pergunta é: sim! Todo mundo pode cantar! Todo mundo que esteja em condições neurológicas e fisiológicas saudáveis pode cantar.

“Ah Danilo, mas eu sou tão desafinado, nunca cantei nada, só canto no chuveiro, não nasci com o dom… eu posso cantar?”

SIM! Você pode cantar A voz faz parte da condição humana, nós falamos, nós desenvolvemos uma linguagem oral para nos comunicarmos. Cantar é uma habilidade humana. É uma maneira de usarmos a voz. Logo se você pode falar, você pode cantar!! Simples assim.

Não existe voz natural, “dom” … toda voz é adaptada. Ninguém nasceu com a voz pronta! O Freddy Mercury não nasceu cantando “Mama, eu quero mamar! (cantando imitando o Freddy).. Você tem a voz que tem porque nasceu em uma determinada família, de uma determinada região, que tem determinados costumes e esse meio moldou mais do que a sua personalidade, moldou a sua voz! E portanto você pode moldar a sua voz do jeito que quiser, dentro da estética vocal que escolher.

E isso não tem nada a ver com o “cantar bem”. O que é cantar bem? Você pode definir o que é isso? De repente cantar bem pra você é o que aquele cantor famoso faz na TV ou aquele outro cantor que todo mundo fala, nossa como ele canta bem! Mas agora me diga, os fãs de AD/DC gostam daquele tipo determinado de estética e acham que o Brian Johnson simplesmente canta muito! Ouvir AC/DC é quase catártico e pra eles aquilo que é cantar bem. Agora quem não é fã do AC/DC ao escutar qualquer música deles vai simplesmente se horrorizar! E dizer, o quê? Isso é cantar bem? Isso é uma coisa horrível!

E quem é que está certo? Antigamente predominava uma única estética, pelo menos do ponto de vista da pedagogia vocal e sua sistematização, dito de outra maneira, da técnica vocal, do ensinar o canto. E essa estética é a do canto lírico que durante muito tempo serviu como base para definirmos o que era e o que não era cantar bem. Quantos cantores beberam ou ainda bebem dessa fonte? Quantas vezes a gente escuta por aí, nossa a cantora o cantor tem um vozeirão! Uma voz bem projetada (imitando um tenor)! Quantos crooners existiram nas rádios e tv’s orgulhosamente ostentando aquela voz de barítono!

Bom e aí é vem o canto popular com seus Bob Dylans, Axl Roses, Bon Jovis, Cassia Ellers, Blue Bells e Tom Jobins da vida…

Percebeu-se que a velha técnica de canto não dava conta de explicar todas as exigências técnicas e estéticas do canto popular contemporâneo. E daí saíram conceitos como

“voz natural”, fulano nasceu com o dom ou naturalmente tem a voz boa para cantar determinado tipo de música ou nada. Se você não tiver determinadas características naturais na sua voz não poderá cantar determinado tipo de música.

“cantar com a sua voz”, somente se poderá cantar bem aquilo que se adequa ao temperamento natural de cada um. Por exemplo um italiano que fala alto, com força só poderá cantar alto e com força!

O avanço das ciências vocais e as novas tecnologias trouxeram para o campo do ensinamento vocal mais luz sobre os comportamentos biomecânicos-fisiologicos e as relações entre os ditos pilares do canto: fluxo de ar, consistência muscular e “shape”. Começou-se a desenvolver uma corrente que diz que o ser humano aprende por espelhamento neuronal e que determinados ornamentos vocais ou técnicas vocais eram presentes em diferentes estilos vocais diferentes e trazendo-se tudo isso para o campo da experimentação científica chegou-se a conclusão que uma mesma pessoa poderia cantar adequadamente vários “estilos vocais”, vários estilos musicais, bastando submeter-se a um processo de ensino-aprendizagem vocal mais abrangente ou a programas de treinamento mais específicos, voltado para identificar e mapear fisiologicamente nota a nota o que aquele cantor seu ídolo está produzindo.

Essa é a questão você pode fazer aquilo que seu cantor preferido está fazendo. Com o treinamento técnico e a orientação adequada sim.

Por fim não podemos descuidar da sua de saúde vocal e checar sempre com profissionais como está a sua fisiologia.